Teoria de que tudo no universo está sempre em movimento…

0
290
BARLOW, Thomas Oldham (1824-1895). Portrait of Isaac Newton. 1863. Baroque art. Oil on canvas. UNITED KINGDOM. London. The Science Museum - © Iberfoto/Everett Collection (546213)

O movimento como estado natural das coisas
Sir Isaac Newton

Teoria de que tudo no universo está sempre em movimento

 O movimento, de uma forma simples, é definido como uma mudança no arranjo de um sistema físico. A afirmação de que tudo no universo está em movimento parece contradizer a evidência empírica, mas essa afirmação mereceu o estudo de algumas das maiores mentes da humanidade, de Aristóteles e Albert Einstein. O movimento, pois, e a despeito de sua ubiquidade, é um fenômeno complexo e geralmente impenetrável.

Aristóteles (384-322 a.C) deu início ao estudo sistemático do movimento físico, mas só depois da publicação de Princípios matemáticos de filosofia natural, de Sir Isaac Newton (1643-1727), em 1687, é que as observações sobre o movimento foram transformadas em “leis”. No prefácio de sua obra, Newton conecta o movimento a todos os fenômenos naturais:  “Oferecemos esta obra como princípios matemáticos de filosofia [de mecânica racional]. Porque toda a dificuldade da filosofia parece consistir disso – desde os fenômenos dos movimentos até as forças da Natureza, e a partir dessas forças para demonstrar os outros fenômenos.”

Newton afirma que os seres humanos são mal equipados para reconhecer qualquer objeto verdadeiramente em descanso, já que eles estão sujeitos à inércia, evitando que sintam os movimentos de uma massa à qual estão ligados, e os seres humanos não possuem uma referência imutável que lhes permita ver que estão se movendo. Ao fazer tais afirmações, Newton argumenta que o movimento é o “estado natural das coisas”.

A partir da afirmação de Newton do movimento como estado natural das coisas, a mecânica clássica, descrevendo o movimento de grandes corpos (planeta e humanos), foi desenvolvida, assim como a mecânica quântica, que descreve o movimento de corpos atômicos e subatômicos (nêutrons, prótons, elétrons e quarks). Como o movimento se aplica a toda matéria e energia, as implicações de seu estudo não podem ser subestimadas.

O tempo é definido para que o movimento pareça simples”
Misner, Thorne e Wheeler, Gravitation (1973)

Deixe um comentário